fbpx
 

Fevereiro Roxo

Sempre procurando trazer informações e um alerta à saúde e bem-estar de nossos pacientes, iniciamos a Campanha Fevereiro Roxo.

Esse nome foi dado na cidade de Uberlândia (MG) em 2014 e, a partir daí, divulgado por várias organizações não governamentais, prefeituras e outros órgãos de saúde, tendo como objetivo esclarecer um pouco mais a respeito de três doenças: o lúpus, a fibromialgia e a doença de Alzheimer.

Mas, afinal, o que essas três têm em comum?
São condições nas quais a Medicina ainda não encontrou a cura. Porém, se ficarmos atentos aos pequenos sinais e sintomas que geralmente são desprezados, o diagnóstico precoce pode ser de grande ajuda.

Nosso objetivo é:

“SE NÃO HOUVER CURA QUE, NO MÍNIMO, COM O CONHECIMENTO E DIAGNÓSTICO PRECOCE, SE CONSIGA O BEM-ESTAR E A QUALIDADE DE VIDA QUE TODOS MERECEMOS.”

Vamos entender um pouquinho sobre cada uma? 

1. LÚPUS

O nome científico é “Lúpus Eritematoso Sistêmico”, uma doença autoimune inflamatória que agride vários órgãos e tecidos do corpo. Na verdade, como acontece também em outras doenças autoimunes, o corpo passa a se atacar encarando o próprio tecido como um “estranho”.

Não se sabe ao certo qual a causa disso acontecer, mas o que já se evidenciou é que existem alguns “gatilhos” que disparam as crises, como por exemplo:

a) lesões na pele que surgem ou pioram quando expostas ao sol
b) vermelhidão na face, sobre as bochechas e no nariz
c) feridas na boca
d) queda de cabelo
e) dor nas articulações

2. FIBROMIALGIA

É considerada um reumatismo, caracterizada por uma dor crônica que anda por todo o corpo, atingindo músculos, tendões, ligamentos, acompanhada de intensa fadiga. Tudo isso está diretamente relacionado ao Sistema Nervoso Central e seu processo de analgesia. Ou seja, não se sabe por que, mas, o controle da dor, que deveria ser feito com endorfinas, serotoninas… no indivíduo com fibromialgia é falho. Portanto, seu limiar de dor é bem mais baixo.
Existe também dor intensa ao toque e rigidez muscular.

Devido à constância de sua dor generalizada, existe uma limitação para suas tarefas diárias, provocando, assim, alterações no seu humor, levando à insônia, depressão, o que piora ainda mais o quadro.

3. DOENÇA DE ALZHEIMER

Essa é uma doença que atinge especialmente os idosos e, muitas vezes, passa despercebida por ser confundida com sintomas normais da idade. Sendo assim, precisamos ficar atentos ao diagnóstico precoce.

O sinal mais evidente é a perda da capacidade cognitiva (principalmente a perda da memória recente), dificuldade em nomear palavras, esquecimentos e outras questões do dia a dia que vão se agravando por conta do acúmulo da proteína amiloide no cérebro do seu portador.

Outros sinais:
a) esquecer-se progressivamente de informações que antes conhecia, como dados históricos.
b) perder a capacidade de acompanhar a história de uma novela ou filme.
c) não saber em que data ou estação do ano está.
d) esquecer-se constantemente das palavras.
e) perder a capacidade de tomar decisões.

Em qualquer suspeita, sempre o melhor a fazer é consultar seu médico.
Ele poderá orientá-lo sobre como proceder.

Até o momento, não temos grandes notícias sobre cura, mas a Medicina caminha a passos largos…
E o que podemos fazer, além de estarmos atentos para o diagnóstico é manter nossa alimentação saudável, praticar exercícios físicos diariamente, cuidar de nossa saúde mental/emocional (o que você tem feito por você?) e olhar a vida sempre com bons olhos, POIS VIVER É… VITAL!

SILVIA SAULLO

 
Receba nossas notícias