fbpx

Ninguém pode viver por você, portanto a decisão sobre como levar sua vida adiante é exclusivamente sua. Aprendemos a definir metas, fazer planejamento econômico, profissional, educacional, criamos tantos planos e muitas vezes deixamos de lado nossa saúde, pelo simples fato de “estarmos bem”, sem
nenhum sintoma aparente.

No Brasil, o câncer de próstata é o segundo mais comum entre os homens (atrás apenas do câncer de pele não melanoma). Em valores absolutos, é o sexto tipo mais comum no mundo e o mais prevalente em homens, representando cerca de 10% do total de cânceres. Sua taxa de incidência é cerca de seis vezes maior nos países desenvolvidos em comparação aos países em desenvolvimento.

A próstata é uma glândula que só o homem possui e que se localiza na parte baixa do abdômen. Ela é um órgão muito pequeno, tem a forma de uma maçã e se situa logo abaixo da bexiga e à frente do reto. A próstata envolve a porção inicial da uretra, tubo pelo qual a urina armazenada na bexiga é eliminada. A
próstata produz parte do sêmen, líquido espesso que contém os espermatozoides, liberado durante o ato sexual.

É considerado um câncer da terceira idade, já que cerca de três quartos dos casos no mundo ocorrem a partir dos 65 anos. O aumento observado nas taxas de incidência no Brasil pode ser parcialmente justificado pela evolução dos métodos diagnósticos (exames), pela melhoria na qualidade dos sistemas de informação do país e pelo aumento na expectativa de vida.

Estatísticas

  • Estimativa de novos casos: 65.840 (2020 – INCA).
  • Número de mortes: 15.576 (2018 – Atlas de Mortalidade por Câncer – SIM).

Fatores de risco

  • A idade é um fator de risco importante, uma vez que tanto a incidência quanto a mortalidade aumentam significativamente após os 50 anos.
  • Pai ou irmão com câncer de próstata antes dos 60 anos podem refletir tanto fatores genéticos (hereditários) quanto hábitos alimentares de risco em algumas famílias.
  • Excesso de gordura corporal aumenta o risco de câncer de próstata avançado.
  • Exposições a aminas aromáticas (comuns na indústria química, mecânica e de transformação de alumínio), arsênio (usado como conservante de madeira e agrotóxico), produtos de petróleo, motor de escape de veículo, hidrocarbonetos policíclicos aromáticos (HPA), fuligem e dioxinas estão associados ao câncer de próstata.

Sinais e Sintomas

Em sua fase inicial, o câncer de próstata tem evolução silenciosa. Muitos pacientes não apresentam nenhum sintoma ou, quando apresentam, são semelhantes aos do crescimento benigno da próstata (dificuldade de urinar, necessidade de urinar mais vezes durante o dia ou à noite). Na fase avançada, pode provocar dor óssea, sintomas urinários ou, quando mais grave, infecção generalizada ou insuficiência renal.

Detecção Precoce

A detecção precoce é uma estratégia para encontrar o tumor em fase inicial e melhorar as possibilidades de tratamento. Essa investigação pode ser feita em pessoas com sinais e sintomas sugestivos da doença, através de exames clínicos (toque retal), laboratoriais (PSA – Antígeno Prostático Específico, sigla em inglês) ou radiológicos (RMmp – Ressonância Magnética Multiparamétrica). Já nos casos em que a RMmp identifica lesões suspeitas, idealmente deve-se proceder à biópsia prostática com fusão de imagem, com resultados consideravelmente melhores que a biópsia padrão no diagnóstico de tumores mais agressivos. Biópsia com fusão de imagem é um método no qual as imagens da RMmp são sobrepostas às imagens da ultrassonografia durante a biópsia de forma a localizar as áreas suspeitas para tumor. É importante lembrar que, nem o toque retal, nem o PSA feitos isoladamente têm 100% de precisão. Por isso é necessário acompanhamento médico. O diagnóstico de certeza do câncer é feito pelo estudo histopatológico do tecido obtido pela biópsia da próstata. A retirada de amostras de tecido para análise é feita com auxílio da ultrassonografia. Pode haver desconforto e presença de sangue na urina ou no sêmen nos dias seguintes ao procedimento.

Tratamento

Para doença localizada, cirurgia, radioterapia e até mesmo observação vigilante (em algumas situações especiais) podem ser oferecidos. Para doença localmente avançada, radioterapia ou cirurgia em combinação com tratamento hormonal têm sido utilizados. Para doença metastática (quando o tumor original já se espalhou para outras partes do corpo), o tratamento inicial é a terapia hormonal. Novos agentes hormonais e novas quimioterapias foram desenvolvidos nos últimos anos, assim como agentes modificadores de metástases ósseas. A escolha do tratamento mais adequado deve ser discutida e definida com o seu médico após avaliação dos riscos e benefícios de cada caso.

Falso X Verdadeiro

O câncer de próstata afeta apenas homens idosos.

FALSO. Ele é mais comum com o aumento da idade, no entanto, homens de todas as idades devem ficar atentos aos fatores de risco pessoais.

Não existe histórico de câncer de próstata na minha família, logo, posso ficar tranquilo.

FALSO. Apesar de um histórico familiar dobrar as chances de ter a doença, um em cada seis homens serão diagnosticados com câncer de próstata.

Não tenho nenhum sintoma, não há com o que se preocupar.

FALSO. O câncer de próstata é um dos cânceres mais assintomáticos, sendo frequentemente detectado pela primeira vez durante um check-up de rotina.

O exame de PSA disgnostica câncer de próstata. Não preciso ir ao médico.

FALSO. Os exames de PSA medem o nível do Antígeno Prostático Específico na próstata, não o câncer. Ele pode estar alterado em outras situações (prostatite, hiperplasia benigna da próstata) ou possivelmente o câncer.

Meu pai teve câncer de próstata, isso significa que eu também terei a doença.

FALSO. Se um homem tem um parente de primeiro grau (pai ou irmão) com câncer de próstata, suas chances de ter a doença duplicam. No entanto, nem todo mundo que tem um histórico familiar terá a doença.

O câncer de próstata é frequente, mas atualmente poucos homens morrem dessa doença.

VERDADEIRO. Apesar de ser o câncer que mais afeta os homens, depois do câncer de pele, com a detecção precoce e tratamento, a taxa de mortalidade tem caído em todo o mundo.

O câncer de próstata tem crescimento lento, por isso preciso ficar atento.

VERDADEIRO. Existem diferentes tipos de câncer de próstata, alguns de crescimento muito lento, outros mais agressivos. Uma vez detectado, o médico tem condições de avaliar o potencial de agressividade do tumor e indicar o melhor tratamento.

O aumento da próstata acontece com os homens à medida que envelhecem e isso não aumenta o risco de câncer de próstata.

VERDADEIRO. O aumento da próstata e o câncer de próstata são coisas diferentes. Os sinais e sintomas de aumento da glândula incluem: dificuldade de esvaziar completamente a bexiga, necessidade frequente de urinar à noite e incontinência urinária. Em caso de dúvida, consulte seu médico.

Nem todos os casos de câncer de próstata necessitam de tratamento imediato.

VERDADEIRO. O tratamento do câncer de próstata depende da idade, do estadiamento do tumor, da quantidade de células cancerígenas no tecido da biópsia, dos sinais e sintomas e do estado de saúde do paciente.

O câncer de próstata não é uma doença infecciosa ou contagiosa.

VERDADEIRO. Não há nenhuma chance da doença ser transmitida para outras pessoas.

Referências Bibliográficas

  1. INCA – Instituto Nacional de Câncer / Ministério da Saúde
  2. Hospital Israelita Albert Einstein – Departamento de Oncologia
  3. Mitos e Verdades sobre o Câncer de Próstata – Equipe Oncoguia

Dra. Silvia Saullo
Clínica Médica/Patologista Clínica